19 janeiro 2010

caminhada noturna!

Já declarei por milhares de vezes nesse blog que sou um ser com fortes índicios, de ter mais hábitos noturnos que diurnos.
Pois bem, hoje resolvi adaptar o passeio com a cachorra, num horário que fosse confortável para os dois.
Então decidi pela madrugada. Com mais exatidão; Uma e meia da madrugada.

Tenho o costume de sair com a Sheeva a tarde. Quando o sol já aqueceu e esta no horário que os médicos abominam. E lá estou eu, um ser sem coração levando a cachorra pra passear.

Sheeva, da raça pastor belga, é uma mistura de cachorro, com lobo e a juba de um leão. Ela tem muito pêlos, em várias camadas e longos. E claro, todos preto (com exceção dos queimados de sol e estão avermelhados.)

A cachorra volta do passeio passando tão mal de calor, que praticamente implora por banhos de mangueira na volta.

Então pra amenizar a situação, resolvi passear a noite. Como cheguei do cinema no ínicio da madrugada e o céu estava extremamente convidativo, resolvi passear a noite, pelo condomínio mesmo.

- "Sheeva vamos passear??" - São as 3 palavrinhas mágicas que ela mais adora. Basta pronunciá-las que lá vai ela toda estabanada para o portão, espera sentada pela coleira e ao ouvir o click do portão se abrindo, a sensação é de ter dado doce pra criança no halloween.

Então saiu os 2 lobos. Eu e ela.
Rodolfo que significa = lobo valente e a Sheeva, prima ancestral dos lobos, com forma de uma loba negra.

Olhando pra cima achei o cruzeiro do sul e as 3 marias. São as únicas coisas que consigo ver com exatidão. O céu capricorniano já esta se despedindo para dar lugar a aquário. Essa constelação é um pouco mais fácil de identificar no céu.

Enfim, a primeira metade do percurso foi tranquilo. Eu admirando as estrelas, a pequena e longe lua crescente, algumas corujas na pracinha e alguns rasantes de morcego perto da cabeça. Alguns vizinhos ainda acordados, mas em sua maioria já tudo apagado. Alcançando metade do caminho os cachorros vizinhos resolveram se manifestar ao ver minha Sheeva desfilando com sua coleira vermelha, e abriram a boca. Latiram como se fosse ladrão assaltando a casa.

Uma e tanto da manhã não é de boa educação causar com os vizinhos. Mas não foi intencional. Parece que todos os outros cachorros resolveram se manifestar também e começou a cachorrada toda a latir, uivar, foi tenso. Quanto mais eu apertava o passo, mas a bonitinha resolvia desfilar e se exibir. Parte de mim tava achando super engraçado, ela ficou toda posuda, como se não ouvisse barulho algum. Mas a outra parte de mim já estava ficando com vergonha. E finalmente chegamos em casa, sem o vigia ou o porteiro nos avistar. A cachorrada continuou causando.

Mas ai é como eu digo pra 2010: Cada um por si, Deus por todos!

Agora enquanto eu escrevo aqui, Sheeva dorme no meu pé. Quer dizer, to usando ela de tapete pros pés. Ninguém mandou ter o melhor pêlo do mundo.

boa noite!

Nenhum comentário:

Postar um comentário