03 dezembro 2009

Viver impulsivamente: espontaneidade ou imprudência?

(...)Segundo estudos e uma tese (título do post), revela que em humanos, o comportamento impulsivo normalmente atinge o auge na adolescência, quando as áreas pré-frontais do cérebro continuam a se desenvolver, ou pouco depois, nas mais jovens idades adultas, quando se é culturalmente esperado que as pessoas testem seus limites, apuraram os psicólogos. (...)

...Teorias a parte, confesso que sou uma pessoa muito impulsiva. E se não fosse por esses 'surtos' de impulsos, eu não teria feito e criado tanta história. Eu não seria tão feliz como sou.

No entanto, quando você para e reflete, isso é, segura o impulso, é quase um sensação de medo, covardia. É a porcaria da ansiedade!

Olha, eu gosto muito da pessoa que inventou o correio eletrônico. Tenho certeza que foi uma pessoa impulsa, a cabeça por trás dessa idéia. Depois de clicado o SEND não tem mais volta! E eu não sei o que essas palavrinhas, - como o ENTER-, tem de tão atrativas. Mas é quase igual a oferecer bala à uma criança.
Irrecusável!
E é uma das ações mais extravagantes e impulsivas do nosso cotidiano.

O caso é; eu tento tomar atitudes esquematizadas, mas minhas ações impulsivas sempre se sobressaem. E não tem nada que eu possa fazer. Às vezes sinto um certo tipo de timidez em por em prática certos planos, e se não fosse esse momento de impulso, eu não faria. Então naõ posso dizer que é uma coisa ruim, avaliando por esse lado.

Não digo que vivo 100% da minha vida de atitudes impulsivas. Então no meu caso, viver impulsivamente é a mais pura espontaneidade! =))

Esse blog foi criado no impulso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário