11 agosto 2009

Passagem / Próximo passo

Passagem / Próximo passo


Em uma conversa descontraída e nada ensaiada em um café na pracinha, filosofamos - tomando um cheiroso café com chocolate em cima- sobre o 'Próximo Passo'.

É, por que na vida é assim. Mal acaba um, já tem que estar engatando outro, que já deve estar em stand by, atentíssimo. 
O tal do próximo passo!

E o que vem depois de faculdade, estágios, concursos e noivar?
Aham... Casar!
Óbvio que fui pra cima com tudo, defendendo o meu ponto de vista, genuinamente contra.
Do outro lado da mesa surgiu a 'teoria' da praticidade!
O que em certos relacionamentos é totalmente plausível.

Mas não parou por aí, na verdade a próxima tese lançada é o que vem me inquietando ultimamente. Bom, vamos aos fatos lançados.
Além de julgar mais prático, era uma questão de ritual.
Ritual de Passagem!

Simples como aniversários, batizados, formaturas...
E o ritual da passagem - o casório - era uma vontade irrevogável!
Com direito a branco e tudo.
Com o diferencial que o padre não seria convidado.
Bom, cada louco com suas manias.
E eu com minhas dúvidas, meus questionamentos.

Questiono se somente Eu, ou alguém mais, não liga pra rituais de passagem?
Eu nunca tive tesão de celebrar meus aniversários.
E nem participei da minha formatura.
E sobre casamento, acho que já ficou claro.

Questiono: - E se os meus modos de passagem forem de outra forma - ?
Tudo bem?
Ou é trapaça?

Olha...
Eu não choro por quem me perdeu e nem por quem eu não tenho. 
Eu não ligo no dia seguinte (mando SMS).
Eu não penso em matrimonio religioso ou contratual.
E não, eu não detesto o fato de ficar mais velho todo ano - na real acredito que ficamos mais sábios. 

O problema é só que eu não sou adepto à rituais de passagem!
Não sofro dessa necessidade.

E ai, tudo bem?

2 comentários:

  1. hahaha! tudo bem? tudo ótimo, afinal, ninguém tem que pensar igual a ninguém, certo? ;)
    Acho inclusive que vc não está nada sozinho, pelo contrário, hoje em dia o normal é não se interessar por ritais de passagem... A gente quase não tem mais, e quando tem, eles já perderam o significado, depois de tanto tempo sendo repetidos num mundo muito diferente daquele em que foram criados...
    Eu sinto necessidade de rituais, porque eu sou meio mística, sei lá. XP Um cara chamado Thomas Moore disse que os rituais preservam o cárater sagrado do mundo...
    E Joseph Campbell, que escrevou O Poder do Mito, fala que o ritual do casamento simboliza a união dos opostos, masculino e feminino, yin e yang, para formar a "díade separada". Sabe aquele mito de Platão de que antes nós éramos dois, mas fomos separados pelos deuses e passamos a vida procurando a nossa metade?... Então. Só que hoje não nascemos metades, nascemos pessoas inteiras, só que temos nosso par, nosso outro. "O casamento é a reunião do próprio com o próprio, da base masculina com a feminina de nós mesmos". ;) Super baboseira mística??? Eu acho bacana. =p Por isso que eu gosto e preciso de rituais de passagem, pra eu me preparar, pra eu entender o quão importante é uma mudança na minha vida...
    Mas, de novo, essa sou eu. =p

    E por sinal adorei o jeito como você contou essa história, muito agradável de se ler. =)

    ResponderExcluir
  2. Olha, talvez falte esse lado místico no meu ser!
    Talvez falte ler um pouco mais do mito do Platão e ver de qual é, essa história de alma gêmea..
    Mas é pq de gêmeos, e complicado, já basta eu né!
    hehe...

    Essa nossa conversa lá no Frans Café foi ótima!

    ResponderExcluir